Skip to content

O que são linfedema venoso e edema?

Edemas são acúmulos de líquido no tecido intercelular ou intersticial, isto é, entre células do tecido ao qual é mais ou menos difícil de acessar.

Se for um linfedema, esse acúmulo é a linfa (fluido rico em proteínas e fibroblastos) que obstrui os canais linfáticos do nosso corpo. Uma obstrução que, se prolongada ou adquira um tamanho considerável, pode ser perigosa.

linfedemaOs linfedemas venosos e edemas aparecem, ambos, como consequência da drenagem realizada pelo corpo humano. Tem duas maneiras diferentes de drenar, através do sistema venoso e através do sistema linfático. A diferença, à primeira vista, entre os dois é que o primeiro é responsável pelas menores substâncias e líquidos, enquanto o segundo coleta detritos maiores e transporta as defesas do corpo.

Portanto, os linfedemas e o edema venoso têm sua origem na drenagem incorreta do organismo. Essa insuficiência no sistema linfático ou venoso produz um aumento no volume do membro afetado. Em geral, não se trata de doenças ou problemas sérios de saúde se eles não crescem rapidamente ou em uma área grande. No entanto, é verdade que nos piores casos pode levar a algum tipo de tumor que deve ser monitorado e tratado por profissionais.

Portanto, conhecer nosso corpo e lidar com possíveis problemas futuros é a chave para ter uma expectativa de vida mais longa.

Que tipos de linfedema existem?

Existem linfedemas primários e secundários. A principal ocorre quando os ductos e gânglios não transportam adequadamente as proteínas e outras moléculas que devem ser absorvidas, enquanto as secundárias são consequência de algum tipo de cirurgia ou tratamento invasivo. Geralmente são cirurgias que exigem a remoção dos linfonodos, como nos casos mais comuns de remoção de câncer ou doenças semelhantes, o que causa problemas no sistema de drenagem do corpo. Sem essa parte fundamental, o processo fica complicado.

O primário pode aparecer em qualquer idade, sendo mais comum a partir dos 35 anos, e como resultado de lesões ou pequenas contusões. Portanto, não é um sintoma de aparência estranha ou difícil.

No entanto, o desconforto que causa em nossa anatomia, tem uma resposta fácil e cura.

Como os linfedemas e o edema são tratados?

Se não falarmos sobre casos muito sérios ou disseminados, existem muitas terapias e tratamentos que a medicina estética coloca à nossa disposição com facilidade.

fisioterapia para tratar edemasA fisioterapia descongestiva é a mais adequada para esses casos e, embora seu nome não a expresse, é bastante comum. As técnicas para normalizar a função do sistema linfático podem ser a drenagem linfática manual, cuidados e limpeza da pele, bandagens compressivas ou cinesioterapia.

Atualmente, tratamentos como cavitação e terapia de pressão são parte fundamental do tratamento de linfedemas e edema de todos os tipos.

Como a terapia de cavitação e pressão ajuda no tratamento do edema?

Como podemos ver em outras páginas desta plataforma, cavitação é o processo pelo qual o sistema elimina gordura e material líquido que não é recomendado para o organismo. Junto com isso, a pressoterapia é responsável por drenar corretamente as substâncias restantes através de câmaras de pressão de ar.

Portanto, a pressoterapia é uma ajuda necessária para que o organismo consiga eliminar essas toxinas através do sistema linfático e venoso.

É uma massagem que o cliente agradecerá para eliminar seu desconforto nas pernas ou nos braços. É muito comum em pernas cansadas ou em processos pós-traumáticos, como nos momentos após certas cirurgias, como as mastectomias.

A ativação desses processos de drenagem é fundamental para que o paciente recupere o movimento que seu corpo não é capaz de realizar sozinho.

Nem sempre é aplicado diretamente na área afetada, porque requer um processo terapêutico mais complexo em determinados casos. Portanto, a presença de um profissional nas situações mais difíceis é completamente necessária para evitar o surgimento de doenças de pele.

Os efeitos de tratamentos como a pressoterapia são positivos em diferentes níveis: na correta drenagem de áreas com edema, no relaxamento das referidas áreas, na promoção de qualidades musculares (tonificação, tratamento da constipação, etc.) e o aumento das capacidades de defesa do organismo, permitindo que as células defensivas fluam melhor.

Que outros cuidados devem ser feitos no edema?

Basicamente, no cuidado de um edema de qualquer tipo, o que é recomendado é a elevação, acima do nível do coração, da área afetada.

É claro que outras lesões ou lesões nessas áreas devem ser evitadas, por isso é melhor não executar movimentos muito rápidos. Esse tipo de movimento ou lesão faz com que o sangue se acumule consideravelmente nessa área, exatamente o oposto do que se pretende.

Por fim, a única coisa especial que deve ser realizada na correta higienização do membro ou área e a aplicação de cremes que favoreçam o trânsito normal e a drenagem do corpo. Não é uma doença como tal, mas requer cuidados básicos.

Outros artigos que podem lhe interessar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *